|

Orquestra de Xalapa e o regente Lanfranco Marcelletti / Divulgaçào

| Sinfônica de Xalapa em turnê no Brasil

11/10/2016 - Por Luciana Medeiros

Grupo mexicano, o mais antigo do país, tem à frente o brasileiro Lanfranco Marcelletti e percorre cinco cidades até dia 15 de outubro

Desembarca no Rio nessa quarta-feira, 12, na penúltima parada de sua primeira turnê ao Brasil, a Orquestra Sinfônica de Xalapa,  a mais antiga do México em atividade. São 92 músicos que carregam uma tradição sólida e um investimento nos futuros espectadores. E tudo sob a batuta de um animado regente pernambucano – Lanfranco Marcelletti. O programa traz obras de Silvestre Revueltas, Marlos Nobre, Debussy e Richard Strauss.

As apresentações no Municipal do Rio e na Sala São Paulo (no dia 15) finalizam a viagem que começou por Recife (7), João Pessoa (8) e Natal (9) e ocupou não somente os palcos das cidades, mas as salas de aula de escolas e projetos sociais ligados à música.

– Xalapa é sede das mais importantes escolas de música do México e nosso trabalho inclui a conscientização permanente da importância desse estudo de música – conta o regente. – Nesse momento, e são 22h dessa segunda-feira (dia 10 de outubro), estou com 20 músicos da orquestra dando aulas para jovens aqui em Recife. Alguns já combinaram continuação no hotel amanhã de manhã.

Fundada em 1929, a OSX integra o complexo da Universidade de Veracruz e inaugurou há três anos sua sala de concertos, elogiada pela acústica.

dsc_1663

Sala de Concertos em Xalapa

– Artistas que se apresentam lá querem voltar para gravar seus discos, é comparável à Sala São Paulo. E temos uma forte promoção para estudantes e jovens frequentarem os concertos. Além de não pagarem ingressos, alunos da universidade ganham créditos escolares como numa matéria eletiva – relata Marcelletti.

O regente tem uma história singular. Aos 17 anos, deixou Recife para estudar piano na Europa. Oito anos depois, decidiu largar tudo, em meio a uma crise pessoal.

– Fui para São Paulo em 1990, descrente da música na minha vida. Por uma série de acasos, acabei trabalhando na produção do programa Primeiro Movimento, na TV Cultura, onde conheci Ronaldo Bologna, o assistente de Camargo Guarnieri. Joguei uma mentira: disse a ele que estudava regência em Viena e queria prosseguir aqui com ele. Embora o professor tenha percebido de cara a verdade, me adotou como aluno e eu entrei na profissão.

As reviravoltas na vida do pernambucano não pararam por aí. A mais importante, em seguida, foi a relação com Eleazar de Carvalho, que Marcelletti conheceu em São Paulo.

– Acabei sendo seu último aluno em Yale. Ganhei uma bolsa completa de três anos para o mestrado em regência. Nos Estados Unidos, regi bastante como convidado e lecionei na Universidade de Massachussets, até ser convidado para Xalapa – resume. – Lá, montei uma equipe fantástica, que inclui especialistas em marketing e comunicação, porque é fundamental manter ideias criativas para atrair o público.

O programa da turnê traz, na primeira metade do concerto, compositores latino-americanos: o mexicano Silvestre Revueltas e o brasileiro Marlos Nobre.

– Revuletas é, para mim, um dos maiores da música mundial – define o regente. – Inovador, acessível, inteligente, de uma incrível espontaneidade. Essa peça, Redes, foi escrita em 1936 para um filme, é escura e trágica como foi a vida dele, morto aos 40 anos, alcoólatra (veja trecho em vídeo abaixo). Já a Passacaglia, de Marlos Nobre, representa o Nordeste e é brilhante em sua estrutura barroca, em que o baixo repete uma célula melódica.

Para a segunda parte, Marcelletti elegeu duas peças famosas da literatura orquestral: a delicadeza do poema sinfônico Prélude à l’Après-midi d’un Faune, de Debussy (“no qual a orquestra pode mostrar toda a sua capacidade de nuances no colorido impressionista”) e Suíte da ópera O Cavaleiro da Rosa, de Richard Strauss (“uma peça que tem absolutamente tudo e nela a orquestra pode mostrar do que é capaz“).

Todos os concertos no Brasil, à exceção do último, têm entrada franca.

Rio – 12/10, 18h  – Theatro Municipal – regencia Lanfranco Marcelletti
Programa: Silvestre Revueltas, Redes; Marlos Nobre, Passacaglia; Claude Debussy, Prelúdio para a tarde de um fauno; Richard Strauss, Suíte da ópera O Cavalheiro da Rosa.
Ingressos: Gratuitos. Ingressos podem ser pegos na bilheteria do teatro a partir do meio-dia.

São Paulo –  15/10, 21h30 – Sala São Paulo

Ingressos: à venda pelo site Ingresso Rápido
Local:  – Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos, São Paulo – SP. Telefone: (11) 3367 9500.