|

Trio Capitu (foto: divulgação) / fachada da Antiga Sé

| Série Sarau na Sé começa nesta terça (4) e terá nove concertos na igreja carioca

03/04/2017 - Por Luciana Medeiros

A música de câmara ocupa a Antiga Sé nas primeiras terças feiras de cada mês. A estreia traz o Trio Capitu.

Começa nessa terça, dia 4, a série de nove concertos na Antiga Sé do Rio de Janeiro – uma das igrejas mais importantes da história da cidade. Com curadoria do fagotista Carlos Bertão, os concertos acontecem sempre nas primeiras terças-feiras do mês, às 12h30, com entrada franca. Sarau na Sé traz a música de câmara em diversas vertentes e formações: duos, trios, quartetos, quintetos e pequenas orquestras.

– Num cenário em que orquestras e grandes equipamentos culturais estão enfrentando enormes dificuldades, a música de câmara tem reconquistado espaço, especialmente porque o músico fica muito próximo, ao alcance do público – diz Bertão. – Quando a barreira entre o palco e a plateia se dilui, o olhar de quem escuta encontra o olhar de quem toca e a conexão é muito mais intensa, com cumplicidade.

A estreia traz o Trio Capitu com um programa que combina épocas distantes: são peças do contemporâneo Sérgio Roberto de Oliveira e Liduíno Pitombeira; de Haydn, de Chiquinha Gonzaga, Mario Tavares e Villa-Lobos.

– Escolhemos as atrações convidando conjuntos cariocas com atuação na música de câmara e buscamos variedade de estilos, mas sempre valorizando a identidade do carioca – prossegue o curador da série.

O fagotista lembra que a Antiga Sé, que fica na rua Primeiro de Março, coração do Centro da cidade, é um local de grande significado para a música do Brasil.

– Ali trabalhou um dos patronos da música brasileira, o Padre José Maurício Nunes Garcia, que nasceu há exatos 250 anos. Fazemos assim homenagem a este compositor e a todos os músicos cariocas.

O foco principal da série, portando, é a música carioca, erudita e popular, “sempre com uma roupagem sofisticada”.

– A música de câmara consegue chegar a lugares onde uma orquestra não cabe. E isso tanto no espaço físico quanto no alcance emocional. Tive muita sorte de encontrar músicos cheios de vontade de tocar e querendo espaço para encontrar o público.

Entre as atrações programadas para os próximos meses estão Quarteto Atlântico, Odette Ernest Dias e Lourenço Vasconcellos e Ana de Oliveira Quarteto . A curadoria da Música na Sé é de Ricardo Tacuchian.

Programa:

Trio Capitu –  Débora Nascimento – fagote, Janaína Perotto – oboé e Sofia Ceccato – flauta

Heitor Villa-Lobos – Melodia Sentimental (arr. Dhyan Toffolo)

Joseph Haydn –Trio de Londres nº 1

Mário Tavares – Trio em forma de choro (1976)

Sergio Roberto de Oliveira  – Praça XV

Liduino Pitombeira – Dom Casmurro – para flauta, oboé e fagote (2017) dedicada ao Trio Capitu

Chiquinha Gonzaga – Lua Branca/ Gaúcho (arr. Isaias Ferreira)