|

Atrações: Duo a Zero, Ritmata, Os Bierdermeiers e Guanduo./ Fotos: Divulgação

| XIII Mostra de Violões Fred Schneiter traz duos

16/10/2016 - Por Debora Ghivelder

Festival começa nessa quarta, 19/10, na Sala Cecilia Meireles, e dura quatro dias, reunindo duplas de diversos estilos e nacionalidades. Organizador do encontro é Luiz Carlos Barbieri.

 

Há 15 anos, o músico Fred Schneiter morria precocemente de infarto. E há treze, seu parceiro na música, Luís Carlos Barbieri, mantém viva a obra e a memória do violonista, através da Mostra de Violões Fred Schneiter. A 13ª edição, que ocupa por quatro dias o Espaço Guiomar Novaes da Sala Cecília Meireles, de quarta (19) a sábado (22), foca sua programação nos duos, com dois concertos distintos por dia.

A ideia original era abrir o evento com o lançamento de um CD póstumo do Duo Barbieri- Schneiter, em que estão reunidas gravações de concertos na Sala Cecília Meireles (1988), no então Auditório Guiomar Novaes (1992) e no Teatro da Aliança Francesa da Tijuca (1991). Entretanto, o projeto do quarto disco da dupla, intitulado Duo Barbieri-Schneiter Arquivo: Bach e Mozart, com material inédito e transcrições de Fred Schneiter para dois violões, foi adiado por conta da crise. Barbieri manteve, mesmo assim, os duos como tema principal da mostra.

– Este ano sentimos o impacto da crise e achei melhor deixar o disco para o ano que vem. O repertório não foi gravado pelo Duo nos CDs anteriores e será a primeira vez em que serão lançadas, comercialmente, gravações do Duo Barbieri-Schneiter ao vivo – explica Barbieri, que este ano, pela primeira vez, não se apresentará no palco. – São duos. Então, eu organizo a festa, mas dessa vez, não vou brincar.

Estilos variados

A edição traz como convidado o Duo Buena Yunta, formado pelos violonistas argentinos Pablo Uccelli e Sebastián Sierra e reserva também a junção incomum da guitarra romântica com o czakan e o flageolet francês do Duo Biedermeiers (Max Riccio e Rubens Küffer) , que vai lançar na ocasião seu primeiro álbum batizado com o nome da dupla (selo A Casa). A programação ainda prevê as apresentações do Duo a Zero (Alexandre Gismonti e Jean Charnaux), Duo Maia de Thadeu Maia e Raphael Maia (ambos de violões de seis cordas), Guanduo (com Juliano Camara e Eduardo Pinheiro nos violões de sete cordas), Duo de Guitarras Românticas de Orlando Fraga e Fábio Scarduelli, Duo Cancionâncias (com Cyro Delvizio/ violão e Manuela Camargo/ soprano) e Duo Ritmata (Roberto de Brito/ violão e Rachel Castro/ flauta).

Neste ano, Barbieri também aproveita para render homenagem ao grupo Amigos da Mostra, gente que há dez anos possibilita a realização do evento, através de doações ou serviços.

– Graças a ele, consigo manter em atividade ininterrupta a Mostra e o Concurso Nacional de Violão Fred Schneiter, que ocorre a cada dois anos, com recursos próprios e sem burocracias – conta Barbieri. – Sabe, sou um músico, e não um produtor, e é complicado ter de fazer as coisas assim, mas é necessário – se não for desse jeito, não acontece. Então, eu digo que fiz a minha parte, mas me entristece. De qualquer maneira, sei que estamos preservando a memória e a obra de alguém, no meu entender, que foi muito relevante.