|

A Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro / Foto: Divulgação

| Orquestra Solistas do Rio de Janeiro abre sua temporada na Sala Cecília Meireles, na sexta (17)

15/03/2017 - Por Debora Ghivelder

O concerto celebra a série de efemérides musicais de 2017 e traz ao palco um programa formado por obras de brasileiros, na maioria

 

A Orquestra Solistas do Rio de Janeiro (OSRJ) abre sua temporada 2017 nesta sexta (17), em concerto na Sala Cecília Meireles. O programa, em quase sua totalidade, é voltado para compositores brasileiros. A seleção inclui obras de José Maurício Nunes Garcia, Heitor Villa-Lobos, Alexandre Schubert e Maurice Ravel, além da estreia de uma peça de Rafael Barros Castro, regente do conjunto.

O concerto celebra uma série de efemérides que marcam 2017. Os 250 anos de Padre José Maurício Nunes Garcia (com a Abertura em Ré Maior), os 130 de Villa-Lobos (com Mandu-Çarará, devidamente arranjada por Wagner Tiso para a orquestra), e Ciranda de Sete Notas (com o fagotista francês e membro do grupo Geoffrey Fouvry, como solista) e ainda os 90 anos de Tom Jobim, que serão marcados pela estreia de Um Tom de Saudade, de Rafael Barros Castro. Completam a noite a obra de Alexandre Schubert, Em tempo, também escrita para a OSRJ e a Pavane pour une enfante défunte, de Ravel, compositor cujo trabalho influenciou tanto Villa- Lobos como Tom Jobim.

– É uma alegria estar de volta à Sala Cecilia Meireles dentro da programação promovida pela gestão criativa e inteligente de Jean-Louis Steurman, apesar da conjuntura sombria que temos à frente no campo das artes em geral.  – diz o violista e integrante do conjunto, Bernardo Fantini.

Ele também comenta a a escolha das obras, algumas delas baseadas em um laço afetivo.

– Do padre José Maurício, pensamos em tocar a sua Abertura em ré maior, obra que já havíamos executado em novembro de 2016, na Candelária, em um concerto em homenagem ao Dia da Consciência Negra. Alexandre Schubert, escreveu Em Tempo especialmente para nós e a estreamos em 2008.Para homenagear os 90 anos de Tom Jobim, nosso Maestro e compositor Rafael Barros Castro preparou a suíte Um tom de saudade, a peça inédita do concerto. Tocamos pela primeira vez a versão de Mandu-Çarará para quintetos com o Wagner Tiso em um concerto em sua homenagem. Ele escreveu esse arranjo para para a OSRJ e o resultado sonoro sempre nos entusiasma.

Fantini conta ainda que o fagotista Geofrey Fouvry, que  faz A Ciranda das sete notas, carrega uma história singular.

-Ele é um exemplo de superação em prol da música. Depois de cursar o Conservatório de Lyon, foi acometido por uma doença que prejudicou seus dentes e o impossibilitou para o fagote. Ele chegou a tentar outras profissões. Mas persistiu no tratamento, conseguiu se reabilitar para o fagote em alto nível e estará, vitorioso, solando essa peça conosco.

Fundada em 2005, por músicos oriundos do curso de música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a UniRio, a OSRJ conta hoje com 16 músicos, integrantes também de outras orquestras sinfônicas ou professores em instituições de ensino musical. O objetivo tem sido, desde a sua criação, divulgar a música de câmara em geral e a brasileira e contemporânea em especial, promovendo o trabalho de brasileiros e de compositores estrangeiros pouco executados no Brasil.

– Com o apoio e patrocínio da empresa H.Strattner por muitos anos e de outros parceiros mais recentes, a OSRJ mantém suas atividades artísticas. Mas ainda procura mais apoio da iniciativa privada, do estado e da sociedade civil através da associação de amigos da OSRJ, para se tornar autossuficiente – reforça o músico.

Em abril, a OSRJ estréia a série de quatro concertos Música Mundi, no Centro Cultural da Justiça Federal. O conjunto tem também agendadas mais duas apresentações na Sala Cecília Meireles, em maio e novembro.

Serviço:

Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro
Data:17/03/2017
Horário: 20:00
Local: Sala Cecilia Meireles
Largo da Lapa,47, Lapa.
Ingressos: R$ 40 (R$ 20 para estudantes e idosos, R$ 2 para estudantes de música que apresentarem a carteirinha a partir de 1h antes do início da apresentação)
Na bilheteria ou pela internet através de www.ingressorapido.com.br