|

Peter Donahoe (foto: Sussie Ahlburg), Andrea Lucchesini e Valentina Lisitsa (fotos de Gilbert François)

| Muitas teclas: três pianistas internacionais na Sala

15/11/2017 - Por Debora Ghivelder

Em tempos de temporadas acanhadas, Sala Cecília Meireles reúne três pianistas com estilos distintos, em sua programação de novembro

 

Em um ano magro de atrações, novembro traz boa chance de ouvir pianistas internacionais. A programação da Sala Cecília Meireles reúne esse mês três pianistas em recitais. O inglês Peter Donohoe, medalha de prata no Concurso Tchaikovsky de 1982, se apresenta neste sábado (18), tocando peça de Messiaen, de quem foi aluno. O italiano Andrea Lucchesini, que se apresenta no dia 23, deslanchou carreira cedo, em 1983, após vencer a Competição Internacional Dino Ciani, no Teatro alla Scala, em Milão. Ele tinha 18 anos. Fechando a agenda do mês, a ucraniana Valentina Lisitsa, fenômeno da internet que partiu do virtual para conquistar as salas de concerto, apresenta no dia 29.

A carreira de Lisitsa, que tocava em duo com o marido, deu uma guinada quando ela postou um vídeo no Youtube, tocando uma peça de Rachmaninoff. De lá para cá, sua plateia virtual aumentou: ela tem hoje  mais de 350 mil inscritos em seu canal e beira as 147 milhões de visualizações, com uma média de 75 mil por dia. Fora do computador, a ucraniana, que se radicou nos EUA em 1992, já atuou com orquestras como a Chicago Symphony, a WDR Symphony Orchestra de Colônia, a Seoul Philharmonic, a San Francisco Symphony e a Pittsburgh Symphony. Também já esteve no Brasil: apresentou-se em 2009 com a violinista Hillary Hahn.

Lisitsa ainda ganhou espaço no noticiário por conta de uma polêmica. Em 2015, a a Orquestra Sinfônica de Toronto resolveu substituí-la em um concerto depois de comentários feitos pela pianista fez em seu twitter, considerados pelo conjunto “profundamente ofensivos”, sobre o conflito então em curso em sua Ucrânia natal. Aqui na Sala Cecília Meireles, ela vai apresentar um repertório de fôlego, com obras de com Bach, Beethoven, Schumann, Chopin, Ravel e Mussorgsky.

Antes dela, no sábado, toca Peter Donohoe, cujas performances ao piano costumam arrancar elogios dos críticos. Além de ganhar a medalha de prata no Concurso Tchaikovsky de Moscou  – ele dividiu o prêmio com Vladimir Ovchinnikov, em um ano em que a medalha de ouro não foi concedida pelo júri -recebeu a Excelentíssima Ordem do Império Britânico pelos serviços prestados à música clássica. Dono de sólida carreira, Donohoe tem feito apresentações com orquestras de peso como a Royal Concertgebouw, a Leipzig Gewandhaus, e a Filarmônica de Berlim. Ele também colaborou com grandes maestros como Sir Simon Rattle, Gustavo Dudamel, Neeme Jarvi, Kurt Masur, Andrew Davis and e Yevgeny Svetlanov.  O programa reside na interpretação de Vingt regards sur l’Enfant-Jésus, de Messiaen, com quem estudou em Paris.

Já o italiano Andrea Lucchesini vai apresentar um programa com peças de Schubert, Widmann, Scarlatti e Berio. Aos 52 anos, o pianista dividiu palco com nomes como Claudio Abbado,  Riccardo Chailly, Dennis Russell Davies, Charles Dutoit e Daniel Harding. É destacado pelas interpretações de Chopin e sua gravação das sonatas de Beethoven, de 2004, foi destacado pela publicação alemã Fonoforum. Também recebeu acolhida entusiasmada da crítica, a gravação que fez dos Impromptus de Schubert para AVIE Records em 2010.

 

Serviço

Sala Cecília Meireles

Peter Donohoe , dia 18, 20h

Andrea Lucchesini- dia 23, 20h.

Valentina Lisitsa – dia 29, 19h.

R$ 40,00