|

Leo Gandelman (Foto: Marlon Falcão) e Orquestra de Sorpos da UFRJ (divulgação)

| Manhã de sopros no domingo da Sala Cecília Meireles

25/11/2016 - Por Luciana Medeiros

Leo Gandelman é o convidado da Orquestra de Sopros da UFRJ para o solo de Brasiliana n. 7, de Radamés Gnattali, no concerto deste domingo (27), que reúne peças inéditas e obras de compositores como Hermeto Paschoal e André Mehmari

 

Em 2016, o carioca Leo Gandelman completou 60 anos de idade e 30 de carreira a bordo dos instrumentos de sopro. Uma das poucas figuras pop do instrumental no Brasil, Leo vem de família fortemente musical – é filho do compositor – e autoridade em direitos autorais – Henrique e da pianista e professora Salomea Gandelman. Nesse domingo, 27, às 11h ele estará na Sala Cecilia Meireles como convidado da Orquestra de Sopros da UFRJ, para solar a Brasiliana n. 7, de Radamés Gnattali, peça originalmente escrita para sax e piano e transposta por Paulo Aragão para orquestra.

– Marcelo Jardim [regente da Orquestra de Sopros], com quem eu já participei de outros eventos, me convidou e eu achei importante colaborar com a orquestra; afinal, eu sou instrumentista de sopros também! E essa peça é uma obra prima, fundamental para o sax.

Brasiliana n. 7, escrita em 1956 e dedicada ao saxofonista Sandoval Dias – tendo sido gravada por Sandoval e pelo próprio Radamés em 1957 -,  teve arranjo para orquestra encomendado por Leo ao violonista Paulo Aragão. O resultado foi registrado no seu disco Radamés e o sax, que ganhou o Prêmio da Música Brasileira de Melhor CD Instrumental e Melhor Produção Musical” (2007) . O saxofonista já apresentou o arranjo em diversas ocasiões – inclusive com a Sinfônica de Moscou, a Filarmônica de Minas e a Jazz Sinfônica de São Paulo no Festival de Campos do Jordão.

– A obra está definitivamente incluída no repertório orquestral para sax tenor – ele celebra.

Leo encerra um ano de trabalho nos palcos e nas telas de cinema e de TV. Além dos shows – acaba de chegar do Festival MIMO em Olinda, onde se apresentou com a cantora Paula Lima – ele assinou a trilha do filme argentino Dolores, mostrado no Festival do Rio – “um trabalho orquestral, fiz com Eduardo Farias, gravei tudo aqui no meu estúdio” – e está compondo a trilha de um novo documentário de Walter Carvalho.

– Além do mais, entro agora na gravação da segunda temporada do meu programa Vamos Tocar, do Canal Bis,  disponível no sistema vídeo on demand da Now e no Multishow. Estrearemos em abril.

Veja o serviço do concerto desse domingo:

Orquestra de Sopros da UFRJ – Leo Gandelman, saxofone
Marcelo Jardim, regência

Programa

André Mehmari – Frevo Rasgado | Acácio Piedade – Três Relevos, para orquestra de sopros (estreia mundial) | Hudson Nogueira – Danças Carnavalescas | Paulo Henrique Raposo – Sinfonias para orquestra de sopros (estreia mundial) | Radamés Gnattali (transcr. Paulo Aragão) – Brasiliana nº 7 – | Hermeto Pascoal/Miguel Briamonte
As Quatro Estações do Hermeto

Duração: 70 minutos

Serviço:
Sala Cecília Meireles – Largo da Lapa, 47 – Centro  21 2332-9223 /21 2332-9224
Ingressos na bilheteria da Sala: R$ 20,00 (R$ 10,00 para estudantes e idosos, R$ 2,00 para estudantes de música que apresentem a carteirinha) / Vendas também pelo www.ingressorapido.com