|

Duo Santoro e João Guilherme Ripper / Foto:Divulgação

| Duo Santoro de violoncelos estreia obra de João Guilherme Ripper

14/09/2017 - Por Debora Ghivelder

Peça para dois violoncelos será interpretada neste domingo (17) no CineArteUFF, com a Sinfônica Nacional da UFF regida por Tobias Volkmann

 

Com um ano de atraso, os cariocas vão poder ouvir a estreia mundial da obra Duplum, concerto para dois violoncelos e orquestra, criado por João Guilherme Ripper especialmente para o Duo Santoro, dos gêmeos Paulo e Ricardo. No domingo, 17, às 10h30, no Cine Arte UFF, em Niterói, os irmãos, ambos integrantes da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), se unem à Sinfônica Nacional da UFF, regida pelo maestro convidado Tobias Volkmann, para o concerto que integra a série OSN Alvorada VIII – Mostra de Música da Atualidade. O programa traz também Concerto para fagote e orquestra, Op.88, de Liduíno Pitombeira, com Jeferson Souza, integrante da OSN como solista, além de obras de Cláudia Caldeira e Rafael Piccolotto de Lima.

Corria o final de 2015 quando os gêmeos Paulo e Ricardo procuraram o compositor João Guilherme Ripper com um pedido: uma peça para dois violoncelos. A tarefa foi aceita de imediato. A ideia dos irmãos Santoro era comemorar com a obra, em 2016, os trinta anos de atuação na Orquestra Sinfônica Brasileira, na posição de solistas, em um concerto da temporada. Mas com 2016 chegou a crise que abalou profundamente a OSB e obrigou a instituição a cancelar boa parte da programação. Entre os cancelamentos estava a estreia de Duplum. Com a suspensão das atividades em 2017, não foi possível reprogramar o concerto com a OSB.

– Decidimos então procurar a Sinfônica Nacional da UFF para estrear a obra e tivemos uma recepção muito calorosa – conta Ricardo Santoro.

A parceria entre Ripper e o Duo Santoro é antiga. Foi iniciada em 1994, quando o compositor criou uma das primeiras músicas dedicadas à dupla, Cantiga e Desafio, gravada em 2013 no CD de estreia dos gêmeos, Bem Brasileiro.

– Só existe um concerto para dois violoncelos, o de Vivaldi, que já tocamos muito. Quando pensamos em uma obra nova, o primeiro nome que surgiu foi o do Ripper. Foi uma coisa imediata – diz Ricardo.

Duplum é o primeiro concerto escrito para esta formação pelo compositor.

-É uma peça com 15 minutos de duração. Tem um movimento único que é nitidamente dividido em três seções. É uma obra harmoniosa, melodiosa, que traz no meio um tango brasileiro – descreve Ricardo.

Os gêmeos tem planos de seguir com apresentações do concerto em 2018. A apresentação será gravada para que outras orquestras pelo Brasil possam também conhecer a obra.

SERVIÇO:

Duo Santoro e Orquestra Sinfônica Nacional da UFF

17 de setembro
Domingo | 10h30min
Cine Arte UFF
Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, Niterói – RJ
Ingressos: R$ 14 (inteira) R$ 7 (meia)