|

Clara e Nathalia / Foto: Ligiane Braga

| Chopin em cena teatral, com Nathalia Timberg e Clara Sverner

30/11/2017 - Por Luciana Medeiros

Depois de estarem em cena com '33 Variações', em que a música e a vida de Beethoven eram levadas ao palco, a dupla volta com um espetáculo teatral que tem a intimidade de um concerto de câmara

 

A pianista Clara Sverner, um dos nomes de proa das teclas brasileiras, volta ao teatro ao lado de Nathalia Timberg – e agora mergulhando na obra de Chopin (1810-1849). Em São Paulo, neste primeiro fim de semana de dezembro, a peça Chopin ou o Tormento de um Ideal ocupa o Teatro Porto Seguro, levando à cena uma relação camerística entre as duas artistas que, além de amigas, fizeram juntas em 2016 outro espetáculo com base na música clássica.

Nathalia Timberg e o elenco de 33 Variações

Lá em janeiro de 2016, Nathalia Timberg inaugurava o Teatro que leva seu nome na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, com uma peça baseada nas Variações Diabelli de Beethoven (1770-1827) – a história de como o compositor alemão transformou um tema em obra prima, construindo 33 diferentes peças a partir de uma valsa simples, entre a primeira e a segunda décadas do século XIX, quando a surdez já avançava. O elenco de dez atores incluía o diretor Wolf Maya e Tadeu Aguiar no papel de Anton Diabelli, o compositor da valsa original. A peça 33 Variações, do venezuelano Moisés Kaufman, é conduzida pelo personagem de Nathália, uma musicóloga que investiga o processo de composição da obra musical. Ao piano, subia também ao palco Clara Sverner, que decidira fazer um mês apenas daquela temporada. Mas o gostinho do teatro foi uma boa surpresa.

– Ali se processava uma mágica muito interessante – conta Clara. – Acabou sendo uma participação episódica mesmo, por conta de compromissos profissionais e de questões pessoais. Mas aí Nathalia me chamou para almoçar, dizendo que estava com saudades de atuar comigo. Uma semana depois, chegou esse texto às mãos dela e voltamos a conversar.

Se 33 Variações tinha um grande elenco, parecendo um concerto orquestral, agora o clima é de recital, de música de câmara. O texto de Chopin ou o Tormento de um Ideal cerca vinte anos da vida do compositor romântico, em acontecimentos e música delineados por cartas e poemas da musa George Sand e de Baudelaire e Lizst, entre outros. Nathalia vive o próprio compositor.

Foto: Ligiane Braga

– A princípio a ideia me soou didática – continua Clara. – Mas o diretor José Possi embarcou no projeto, que havia sido sugerido por um amigo diplomata que vira a peça na França. No primeiro ensaio, vi que a mágica do palco se fez, entrelaçando teatro e música de uma maneira incrível.

A montagem original estreou 30 anos atrás, em Paris, como pianista Erik Berchot, vencedor do prêmio Frédéric Chopin de Varsóvia de 1980, ao lado do ator e autor Philippe Etesse. A versão brasileira de Timberg e Sverner estreou no novo Sesc 24 de Maio, já passou por Porto Alegre, Salvador e Fortaleza, retorna agora a São Paulo e já tem repletas as agendas de janeiro e fevereiro. Temporada no Rio não está no horizonte, pelo menos por enquanto.

– Estou muito feliz com a receptividade – conta a pianista. –  Acho que vem atraindo apreciadores de teatro e de música em igual medida. Ao terminar a peça, vejo que o público se queda num silêncio perplexo e depois explode em aplausos. Estou adorando.

 

CHOPIN OU O TORMENTO DO IDEAL – 1º, 2 e 3 de dezembro, sexta-feira e sábado, às 21 horas e  domingo, às 19 horas, no Teatro Porto Seguro. Concepção Original – Philippe Etesse. Tradução – Nathalia Timberg. Direção e Adaptação – José Possi Neto. Elenco – Nathalia Timberg. Piano ao Vivo – Clara Sverner. Cenografia – Chris Aizner. Desenho de Luz – Wagner Freire. Figurinos – Miko Hashimoto. Videografismo e Projeções – Alexandre Gonzales.  Duração – 70 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Ingressos – R$ 80 (plateia) e R$ 60 (balcão/ frisas).

TEATRO PORTO SEGURO – Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos. Telefone – (11) 3226-7300. Capacidade do Teatro – 496 lugares. Acesso para deficientes físicos (10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos). Bilheteria – De terça a sábado das 13h às 21h e domingo das 12h às 19h (ingressos à venda pelo site www.ingressorapido.com.br). Aceita todos os cartões de crédito e débito (exceto Cabal, Sorocred e Goodcard). Estacionamento – Estapar – R$ 20 (self parking) – Todos os clientes Porto Seguro tem desconto de 50%. Serviço de Vans – O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro.