|

Foto de Ricatrdo Tacuchian: Vania Laranjeira

| Chega a segunda edição de livro de Luiz Heitor “150 anos de música no Brasil (1800-1950)”

12/12/2017- Por Ricardo Tacuchian*

Escrito há 61 anos, a publicação permanece como uma referência bibliográfica fundamental para os interessados em música brasileira e tem lançamento na Biblioteca Nacional nessa quarta (13). O prefácio é de Ricardo Tacuchian.

 

A Fundação Biblioteca Nacional lança, neste 13 de dezembro, às 18 horas, no Auditório Machado de Assis (Rua México, s/nº – entrada pelo jardim) a segunda edição do livro 150 anos de música no Brasil (1800-1950) de Luiz Heitor. Luiz Heitor Correa de Azevedo (naquela época, era moda para alguns escritores usarem apenas o seu prenome, sem o sobrenome) nasce no Rio de Janeiro em 1905. Depois de construir uma carreira meteórica como musicólogo e pesquisador, ele se muda para Paris, com apenas 42 anos de idade, para assumir, logo depois, o cargo de 1º secretário do Conselho Internacional de Música da UNESCO. Ele se aposenta aos 60 anos, mas permanece em Paris até o seu falecimento, aos 87 anos.

A primeira edição dos 150 anos de música no Brasil (1800-1950) foi lançada nove anos depois que Luiz Heitor chegou a Paris. Entretanto, este livro já vinha sendo gestado há muitos anos, desde a época em que ele exercia a função de crítico musical, foi Bibliotecário do Instituto Nacional de Música da Universidade do Brasil e, depois, professor catedrático na mesma instituição e diretor da Revista Brasileira de Música. As obras Música e Músicos do Brasil, de 1950, e Bibliografia Musical Brasileira (1820-1950), de 1952, foram, sem dúvida, os pontos de partida deste importante livro que, agora, é lançado em segunda edição.

Mas fica uma pergunta no ar. Por que lançar uma segunda edição de um livro, escrito há 61 anos, depois que a musicologia brasileira teve um enorme avanço, com novas descobertas, novas abordagens e novas metodologias? Em primeiro lugar, o referido livro ainda é uma referência bibliográfica fundamental para todo estudioso da música brasileira, porque suas colocações continuam válidas até hoje. Trata-se de um livro indispensável para os especialistas mas, principalmente, para os estudantes e jovens pesquisadores sobre a nossa música. Em segundo lugar, o livro apresenta uma ordenação pedagógica invejável e se reveste em um importante item bibliográfico para os estudantes de música. Outro ponto importante a ser ressaltado é o rigor científico que a obra apresenta, praticamente inaugurando uma nova fase da musicologia brasileira, pela disciplina no levantamento e na crítica das fontes primárias. Por fim, 150 anos de música no Brasil é um modelo do que havia de mais importante sobre o pensamento musicológico de uma época. Conforme declarei no Prefácio desta segunda edição “A publicação de uma edição ampliada e corrigida, de acordo com as novas doutrinas musicológicas e descobertas documentais, seria quase que escrever um novo livro e não faria justiça a Luiz Heitor. A decisão de publicar uma edição moderna, porém mantendo o texto original, se impôs”.

A equipe editorial da Biblioteca Nacional apenas atualizou a grafia, inseriu algumas ilustrações e reorganizou a forma de apresentar as notas e o índice. “As 200 notas de rodapé redigidas pelo autor, que na primeira edição tinham sua numeração reiniciada a cada capítulo, passaram a ser apresentadas com numeração corrida, a fim de facilitar futuras referências.” Além do mais o livro foi publicado com um novo e belíssimo projeto gráfico.

Quanto à natureza do texto e ordenação dos assuntos, volto a citar um trecho do meu Prefácio a este grande livro: “A obra está dividida em duas partes: o Século XIX e o Século XX. Os capítulos são desenvolvidos principalmente em torno dos principais compositores de cada época, mas alguns capítulos se referem a fatos mais gerais como “Da Igreja ao Teatro”, “Do Teatro ao Concerto”, “Advento do nacionalismo” e “A Ópera”. Ela é enriquecida com inúmeras notas de rodapé e completada com vasta bibliografia e índice alfabético. Nenhuma outra obra do gênero, até aquela ocasião, fora tão abrangente e rigorosa.” Luiz Heitor dedicou esta obra a seu mentor intelectual Mario de Andrade que falecera 11 anos antes da primeira edição vir a lume. Por isso mesmo, pode-se perceber uma certa orientação nacionalista na análise dos fatos e documentos apresentados.

A segunda edição de 150 anos de música no Brasil (1800-1950) é um dos mais importantes lançamentos musicológicos publicados nestes últimos anos.

O livro pode ser adquirido no dia do lançamento ou na Loja do Livro, situada na entrada principal da BN, Av. Rio Branco 219, tel. 55(21)3095-3993 ou 2220-1309.

O e-mail  livraria@bn.gov.br

HEITOR, Luiz. 150 anos de música no Brasil (1800-1950); prefácio: Ricardo Tacuchian. _ 2.ed. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Coordenadoria de Editoração, 2016. 336 p. il.; 23 cm._ (Coleção Rodolfo Garcia), 335 p.

*Ricardo Tacuchian é compositor e professor