|

Evento do GLOMUS em Natal

| “A GLOMUS em Natal foi uma experiência transformadora”

22/01/2017 - Por Fábio Presgrave

"A população de Natal deu uma declaração política forte com sua presença maciça em um momento em que a cultura vem sendo sistematicamente dilacerada em nosso país", diz o violoncelista, Coordenador Internacional na UFRN.

 

Fábio Presgrave é carioca, violoncelista e há nove anos é o Coordenador de Projetos Internacionais e de Pós-Graduação da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tutti fez reportagem sobre o evento GLOMUS aqui – que aconteceu entre 7 e 20 de janeiro em Natal.

A GLOMUS foi uma experiência transformadora não apenas para a Universidade Federal do Rio Grande do Norte mas para a cidade de Natal.  O público abraçou a ideia da comunicação entre povos através da Música, Teatro e Dança e compareceu em peso para as apresentações e teve muita curiosidade para conhecer culturas diferentes. A população de Natal deu uma declaração política forte com sua presença maciça em um momento em que a cultura vem sendo sistematicamente dilacerada em nosso país com o fechamento de grupos orquestrais e com o encerramento de projetos estratégicos de longo prazo como a Oficina de Música de Curitiba.

Na abertura do evento, o auditório de 1200 lugares estava completamente lotado e centenas de pessoas voltaram por não conseguir lugar. A apresentação no Parque da Cidade, obra belíssima de Niemeyer, ajudou o parque a registrar aproximadamente 2000 visitas em um dia. A GLOMUS fez com que o Parque das Dunas, uma das mais importantes atrações turísticas de Natal, tivesse uma das maiores visitações da história. As jam sessions em locais históricos da cidade como a Pinacoteca e o Solar Bela Vista contaram também com a participação de grandes músicos da cidade.

Estrangeiros de 29 nacionalidades e que representaram 25 instituições aprenderam sobre a cultura brasileira, tendo interagido com  o Côco de Zambê de Tibau do Sul, grupos de Maracatú, Capoeira e Folia de Rua. Os convidados também saíram impactados com a interação com os projetos sociais ligados à UFRN, como a ONGs Atitude Cooperação, Oficina de Sonhos, Conexão Felipe Camarão e Orquestra de Luis Gomes (cidade do Alto Oeste Potiguar).

O último concerto foi marcado por muita emoção. A crise de violência no estado estava no auge, chegou-se a cogitar o cancelamento da apresentação, mas decidiu-se ir em frente. Mesmo diante do medo que reinava na cidade, cerca de 500 pessoas testemunharam a festa de despedida. Após o concerto os músicos fizeram uma bela jam session sobre um tema de Manuel Marinheiro (Mestre de Boi de Reis), levando assim um pedaço do Rio Grande do Norte para seus países.

A GLOMUS abriu portas para novas ações internacionais da UFRN, provou que o povo quer e demanda cultura e deixou saudades. Queremos repetir a dose em janeiro do próximo ano, com  o GLOMUS Festival: estamos nos empenhando para que o evento seja uma presença regular no calendário de Natal.

Imagens da GLOMUS: